Bem-Estar

Lesões no menisco, o amortecedor do joelho

Publicidade

Podemos chamar o menisco de amortecedor do joelho. Trata-se de uma região importante e considerada de risco de lesão para dois tipos bem diferentes de público.

O primeiro grupo de risco é formado por jovens praticantes de esportes, principalmente os de alta intensidade, sendo comum a associação de lesões ligamentares às lesões de menisco.

O segundo grupo é representado por pessoas mais velhas. Neste caso, a lesão é causada por degeneração e desgaste natural e a perda da propriedade elástica dos meniscos.

Para ambos os grupos de risco, a constatação da lesão se dá através de análise de um especialista, após a realização do exame de ressonância magnética.

Na maioria das vezes (cerca de 70%), as chamadas lesões degenerativas no menisco em idosos recebem tratamento conservador, ou seja, sem cirurgia, apenas com uso de medicamentos, gelo e fisioterapia. Após a intervenção de tratamento, deve-se realizar um trabalho preventivo, com a prática regular de exercícios físicos resistidos. A musculação, o Pilates e exercícios funcionais são algumas atividades que contribuem para essa prevenção.

Já nas lesões no menisco ocasionadas por trauma de joelho, o que ocorre, geralmente, nos jovens desportistas, na maioria das vezes é utilizada a cirurgia como recurso de tratamento, principalmente nas de maior gravidade. Quando são menores e com características de estabilidade reveladas nos exames de ressonância magnética, o tratamento pode ser realizado com fisioterapia e anti-inflamatório, até que os sintomas de dor desapareçam.

Uma valiosa dica para diminuir a probabilidade desse tipo de lesão é a prática de exercícios resistidos, mais conhecidos como treinamento de força. Pode ser o Pilates, a musculação ou treinamento funcional. Mas para uma prevenção não é necessário utilizar a força máxima nos exercícios.

Vale ressaltar, aliás, que, para o fortalecimento muscular e ganho de força, há que se ter um correto planejamento, tendo em vista variáveis que podem gerar ganho de força sem a força extrema no exercício. A evolução pode se dar tanto no incremento de carga ao longo dos treinamentos quanto através da modificação do tempo de descanso, entre outras possibilidades.

Achou complicada tamanhas variações? Pois não hesite em pedir orientação para um profissional da educação física, o que lhe garantirá maior segurança no trabalho de fortalecimento muscular.

Gostou Compartilhe
Publicidade