Bem-Estar

Consumo de colágeno através da suplementação é mais efetivo

Publicidade

Envelhecimento, rugas, celulites e flacidez são palavrinhas que assombram qualquer pessoa. Os efeitos da idade são inevitáveis e difíceis de serem combatidos apenas com hábitos saudáveis e a prática de exercícios físicos. Diante disso, cresce a busca pelos benefícios do colágeno para a pele e no combate ao desgaste que vem com a idade. Com produção própria no nosso corpo, o colágeno começa a ficar cada vez mais “restrito”, diminuindo sua produção 1% ao ano após os 30 anos de idade. Na menopausa pode chegar a até 65% menos.

“Ele é constituído pelos aminoácidos Glicina, Prolina, Arginina e Hidroxiprolina, e representa a forma mais abundante de proteína que pode ser encontrada no corpo humano. Ele corresponde a 30% das proteínas presentes no organismo”, conta a nutricionista e consultora da Vital Natus, Dalila Marciele Nunes. De acordo com ela, uma das principais funções do colágeno é formar as fibras que dão sustentação à pele, mas que os cabelos, unhas, dentes, ossos e cartilagens também têm muito a ganhar, e alguns estudos apontam que ajuda também no combate à Síndrome do Intestino Irritável. “Algumas práticas, como tabagismo, exposição ao sol de forma indevida e tensão emocional reduzem a produção de colágeno no corpo, diminuindo a elasticidade da pele, contribuindo para o surgimento de rugas, celulites e flacidez”, explica.

Os alimentos ricos em colágeno são as carnes – vermelha, frango e peixe – porém, elas também possuem gorduras saturadas e é preciso ter cuidado na quantidade ingerida desses alimentos. A melhor forma de se obter o colágeno puro é através da suplementação, e pode ser encontrado em pó, líquido ou em cápsulas, ser hidrolisado ou não. O hidrolisado é quando ocorre a quebra das moléculas de proteína do boi, sendo assim mais facilmente absorvidas pelo organismo.

“O intuito é facilitar a sua absorção pelo organismo sem que suas propriedades benéficas sejam perdidas. Portando, a absorção do colágeno hidrolisado é considerada a melhor forma de consumo, porque torna o colágeno puro, concentrado e livre de gorduras”, afirma Dalila. Até porque o colágeno hidrolisado tem dez vezes mais aminoácidos que um bife e ajuda na sensação de saciedade, que faz com que a pessoa sinta menos fome e, consequentemente, perca peso.

Por não ser um medicamento ou substância agressiva, a Anvisa permite a venda e o consumo livremente. Porém, Arthur Leão, da Vital Natus, orienta: “Mesmo sendo um produto natural e que não possui contraindicações, o ideal é que a suplementação seja feita através de uma orientação médica”. Aliado a uma alimentação saudável que potencializa suas ações, o colágeno também beneficia a pressão arterial, mantendo melhor controle, úlceras gástricas e osteoporose.

Gostou Compartilhe
Publicidade