Bem-Estar

A verdade que se põe no prato

Publicidade

Muito se fala sobre “dieta”, reeducação alimentar, mas pouco se veicula sobre a dura realidade da nossa alimentação. Um bom exercício seria ler os pontos abaixo e verificar quais deles você está, verdadeiramente, ciente.

  1. O solo do planeta está pobre em nutrientes. Tanta demanda por alimento tem extraído da terra recursos naturais e não sobra tempo para que o solo se renove. A mãe Terra tem tido “gestações” consecutivas e está desnutrida. Como, então, poderemos ter alimentos nutritivos?
  2. Essa carência nutricional gera a necessidade de utilizar recursos químicos, aditivos e adubos artificiais, pesticidas, agrotóxicos. Estudos mostram que o brasileiro consome cerca de 5,2 litros de agrotóxico por ano! A indústria da doença mobiliza o mundo. Ela inclui a indústria farmacêutica e a de alimentos.

O remédio mais vendido no mundo é a histatina, utilizada para controlar o colesterol. Essa alteração tem surgido cada vez mais cedo. Hoje em dia, é comum crianças com colesterol, e dizem que é “genético”. Não é interessante? Uma indústria produz o veneno. A outra, o antídoto e, assim, trilhões de dólares são movimentados na economia mundial. Se tão somente consumíssemos a quantidade recomendada de ômega 3, por exemplo, tais níveis elevados seriam evitados. Isso, claro, se nossos peixes não fossem criados em cativeiro e se eles contivessem ômega 3.

  1. A demanda por alimentos também tem impacto na criação de animais. Hormônios, antibióticos, estratégias adrenérgicas (que deixam o animal alerta e estressado), produzem, por exemplo, a mágica de acelerar o abatimento de um frango, dos antigos e caipiras 4 a 6 meses, para 28 dias. Esse histórico, infelizmente, entra na nossa panela.

Onde podemos encontrar os estudos que mostram o efeito disso a longo prazo, no organismo humano? O que temos, entretanto, é um novo tipo de “genética” que está deixando um monte de gente doente, em tenra idade.

Por isso, antes de pensar em dietas, restrições e procedimentos milagrosos, tenha consciência de que seu organismo pode estar, antes de tudo, intoxicado e desnutrido.

Gostou Compartilhe
Publicidade