Bem-Estar

3 procedimentos para desfilar com um corpo impecável no Carnaval

O Carnaval está chegando e, na hora da folia, nada de ter vergonha de exibir suas curvas por aí. Para dar fim à gordura localizada, flacidez, estrias, celulites e varizes, novas técnicas estão disponíveis no mercado e elas dispensam intervenções cirúrgicas, entregando resultados rápidos e seguros.

Portanto, ainda dá tempo de dar os últimos retoques e exibir um corpão para pular carnaval, com a ajuda de tecnologias poderosas. Confira procedimentos corporais que trazem excelentes resultados, com resultados já nas primeiras sessões:

Gordura localizada, flacidez e celulite

Total Sculptor é o único equipamento do mundo a associar criolipólise, ultrassim macrofocado, corrente de estímulo muscular, radiofrequência multipolar e criofrequência para tratar de forma efetiva a gordura localizada, promover remodelação corporal e definir o músculo, além de atuar na firmeza da pele e contra a celulite.

“O protocolo começa com o congelamento das células (criolipólise) de gordura com consequente morte celular, mas na mesma sessão, logo após a criolipólise, algumas células de gordura ainda são destruídas por um potente ultrassom macrofocado, que potencializa muito a perda de gordura localizada”, afirma o dermatologista Dr. Abdo Salomão Jr. “Enquanto a paciente está parada, o equipamento começa a contrair e soltar o músculo várias vezes até fazer a definição da área muscular”.

O médico ainda enumera as vantagens do procedimento. “Essa criolipólise é mais potente, já que tem vácuo mais intenso e área de congelamento maior; o ultrassom não dói porque vem logo depois da criolipólise e a gordura e os nervos estão congelados; não há cuidados especiais pós-tratamento e nem downtime, ou seja, após o procedimento, o paciente pode voltar normalmente para suas atividades normais; uma sessão é necessária para atingir os resultados”, completa.

Estrias 

Eletroderme é uma radiofrequência microagulhada com excelentes resultados para estrias. No método, as agulhas ultrapassam a epiderme, emitindo ondas eletromagnéticas apenas nas camadas mais profundas da pele, preservando a superfície. Isso faz com que a temperatura da derme chegue até a 70ºC, estimulando a produção de colágeno e refazendo as fibras rompidas, explica a dermatologista Dra. Thais Pepe, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

“A ação do Eletroderme provoca o estímulo da regeneração celular por meio do processo de cicatrização, a proliferação de células-tronco e estímulo da síntese de elastina, da neocolagênese (produção de colágeno) e angiogênese (proliferação de vasos sanquíneos)”, completa. São necessárias, em média, quatro sessões com intervalos mensais.

Varizes 

O procedimento Clacs utiliza laser não invasivo e injeções de glicose, para aumentar eficácia do tratamento contra as varizes e reduzir os efeitos colaterais. “Com o método combinado, o laser pode ser aplicado com energia mais baixa (o que diminui a dor no tratamento), emitindo pulsos de luz que penetram no corpo do paciente e são absorvidos pelo sangue – agindo nas varizes sem causar dano à pele”, explica a Dra. Aline Lamaita, cirurgiã vascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Logo em seguida, a glicose é aplicada nos mesmos locais onde foi realizado o laser, potencializando seu efeito e secando as varizes. Sendo assim, o método inovador reduz a quantidade de sessões. “Outros tratamentos também podem ser indicados, dependendo do grau das varizes”, acrescenta. “Em apenas três sessões, é possível notar uma melhora significativa, de 70%”, comenta a médica.

Gostou Compartilhe