Alimentação

Congelamento celular e ondas de choque reduzem duas vezes mais medidas

Tratamento combinado é o futuro da tecnologia, principalmente quando pensamos em redução de medidas. Da mesma forma que aliar dieta e exercício físico é benéfico, juntar procedimentos sinérgicos pode até dobrar os resultados. É o caso do protocolo conhecido como CoolTech Z, que une a criolipólise (tratamento com congelamento) às ondas de choque. “Após a criolipólise, que promove o congelamento das células de gordura com consequente morte celular, a técnica de ondas de choque massageia a pele, aumenta o processo metabólico, melhora o retorno venoso e linfático e promove a quebra da gordura dentro das células, potencializando o efeito da criolipólise e reduzindo ainda mais as medidas”, explica a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Apenas uma sessão do procedimento é necessária, sendo que o tratamento dura 1h20m.

De acordo com a médica, na técnica da criolipólise, o handpiece é acoplado à pele e, por meio de uma leve sucção, promove uma diminuição do fluxo de sangue na área tratada e inicia-se o processo de congelamento de forma gradativa. “Quando o procedimento se encerra, as células de gordura que sofreram o congelamento são liberadas através do metabolismo natural do nosso organismo de forma gradual.” De acordo com estudos, apenas com a técnica de criolipólise há uma redução de 18% a 25% da gordura da área tratada, e o resultado é visível entre 30 e 60 dias após a aplicação. Imediatamente após, entra em cena a tecnologia das ondas de choque para potencializar os resultados. Ao promover uma vibração intensa na pele, o procedimento substitui a massagem manual de forma muito mais eficaz e um de seus trunfos é permitir a combinação com a criolipólise, por exemplo, potencializando e até dobrando os resultados na perda de gordura – de forma que a redução de gordura pode chegar até 50%. A tecnologia também promove grande impacto no estímulo da formação do colágeno e do tecido conjuntivo cutâneo, melhorando também a circulação sanguínea.

Durante a aplicação, o paciente não sente dor e pode retornar imediatamente às atividades normais após a sessão. O procedimento pode ser feito em toda a região corporal, principalmente em abdômen, flancos, coxas e glúteos, e também na região da papada.

Gostou Compartilhe